superação Tag

Eu não corro. Eu nunca corri.

 

                Você pode começar, você começa andando, depois você anda mais rápido, depois você corre um pouco e anda mais um tanto e aos poucos, seu condicionamento vai melhorando e as distâncias aumentando e não é somente as distâncias que aumentam. Aumenta sua disposição, melhora o seu sono, melhora a sua concentração, melhora a sua qualidade de vida.

 

Eu não tenho os equipamentos necessários.

 

                Comece com aquilo que você tem, use a sua bermuda, evite a jeans. Escolha a camiseta mais confortável e fresca, tire a poeira do seu tênis, pegue um par de meias, uma garrafa de água e escreva no Face, partiu caminhada, partiu corridinha leve, (até porque no momento não existe nenhuma outra opção que não seja leve), partiu viver mais, partiu qualidade de vida. As opções são muitas.

 

Todo mundo corre mais do que eu.

 

                Vou lembrar as sábias palavras da sua mãe. Você não é todo mundo, você está começando, respeite o seu tempo, aumente suas conquistas gradativamente. Se forçar demais por causa da cabeça boa, (vontade, determinação)  vai machucar e terá que parar aquilo que começou.

 

Eu vou machucar meus joelhos

 

                Você está parado há muito tempo, estagnado, preguiçoso, tudo que seu corpo pede é sofá, Netflix e petiscos. O risco do sedentarismo na minha opinião é muito maior do que o risco de machucar seus joelhos. Não deixe isso ser a sua desculpa. Lembre-se: começar aos poucos. Seu corpo fala com você, escute seu corpo, sinta o seu corpo. Você é capaz de reconhecer uma dor diferente. Se isso acontecer procure ajuda imediatamente para que o problema seja sanado no início. Eu sofri muito no começo com a famosa “CANELITE”. Aprendi o que precisava ser aprendido, fiz o que precisava ser feito e hoje consigo correr.

 

E se eu perder? E se eu chegar em último?

 

                Eu já cheguei. Fui o último da minha categoria. Naquele dia tinham seis. Quer saber o que meus amigos fizeram? Fizeram Bullying! Hahahaha, a vida é assim, nem tudo irá sair como planejado, as derrotas são ensinamentos fantásticos e acredite, nós sempre aprenderemos com elas, sairemos mais fortalecidos, mais preparados, mais experientes. Você não perde quando chega em último. Você perde quando tem medo de chegar em último e não vai. Você perde quando desiste, podendo fisicamente continuar, você perde quando o medo te vence, você perde quando não acredita em você. Você perde quando não tenta. Você perde quando não se esforça podendo se esforçar.  Você perde quando, preocupado com aquilo que os outros irão pensar, não faz aquilo que precisa ser feito.

 

Respeite seu ritmo, respeite seu corpo, comece e entenda o que é sentir se extremamente vivo, quando a sensação é de: Estou morto. E fique tranquilo logo nascerá em você a vontade de melhorar os equipamentos, pedir ajuda, conversar com quem vive aquilo há muitos anos e estar próximo de pessoas e profissionais capacitados, que te ajudarão no trajeto, independente de qual seja o seu destino. Busque o seu destino, o seu objetivo, aquilo que te faz bem. Cada um é único, alguns querem chegar rápido ao destino. Eu quero contemplar, aproveitar, sorrir, tirar foto, incentivar, inspirar, ajudar. Quero viver intensamente o trajeto.

 

Você pode! Você consegue! Comece e não esqueça: Divirta-se, seja feliz durante e depois…….

 

Palestrante Robson Dutra

Uma época da minha vida eu fiquei muito doente e um dos motivos que isso aconteceu foi porque eu queria agradar  “todo mundo” o tempo todo, tudo que eu fazia, fazia pensando em agradar a todos. Isso é possível? Claro que não! Apenas nos traz sofrimentos e frustrações, na minha opinião Jesus é o melhor exemplo, só fez o bem, suas intenções eram as melhores, só ajudou, só amou, até ressuscitou algumas pessoas e mesmo assim, olha só o que fizeram com Ele. Nós cristãos sabemos que tudo isso fazia parte de um plano muito maior e necessário, entendemos, mas que dói muito saber tudo que Jesus passou, dói.

 

Onde quero chegar? Muitos me procuram e dizem que não querem falar em público porque tem medo de não agradar todas as pessoas. Tem medo daquilo que as outras pessoas irão pensar. Tem medo das pessoas rirem e zombarem de sua apresentação. Mas por que nos preocupamos tanto com aquilo que os outros irão pensar?

 

Eu entendo que é importante mantermos uma imagem correta, honesta, e que as pessoas saibam que somos éticos e valorosos. Mas deixar de fazer isso ou aquilo somente preocupado com aquilo que as pessoas irão pensar, não nos fará bem, pelo contrário, irá nos limitar, nos podar, nos colocar em uma caixa de vidro fechada, limitados e vendo o mundo acontecer do lado de fora.

 

Não, não nascemos somente para isso, nascemos para viver intensamente e aproveitar cada dia muito bem, e fazer o que precisa ser feito, sem pensar no que os outros irão pensar ou dizer.

 

Por que algumas pessoas sofrem tanto com aquilo que os outros pensam? Por que algumas pessoas acham que todas as indiretas são para elas? Se uma dessas duas coisas incomoda você, trate isso energicamente, não permita que isso tire seu brilho, sua energia e sua criatividade. Entenda que muitos nunca elogiam e aparecem de vez em quando pedindo autorização para uma pequena, mas poderosa e negativa Crítica CONSTRUTIVA. Sei!!!

 

Aprendi nesses meus anos de vida que existem pessoas ruins, mas os bons são maioria. Aprendi que ninguém chuta cachorro que está morto. Aprendi que somente árvores que dão frutos levam pedradas. Aprendi que as pedradas da vida doem porque as pedras são atiradas por pessoas que estão próximas de você.

 

Aprendi que pessoas sensíveis sofrem mais e perdem muito tempo até se recuperarem e estarem prontas novamente. Precisamos criar uma blindagem, uma proteção que nos separa e nos protege dos comentários maldosos, de toda, inveja, de toda frustração alheia.

 

Precisamos entender que algumas pessoas fazem isso no automático, não conseguem lidar com as adversidades da vida e acabam atacando outras pessoas. Ok, eu sei que eu e você não temos nada com isso, mas acontece e não podemos simplesmente ignorar. Temos que nos preparar e nos fortalecermos para aguentarmos as pancadas do dia a dia.

 

Precisamos aprender a transformar impacto em impulso. Aquilo que nos deixaria no chão, usaremos para levantarmos mais fortes, mais focados e mais obstinados. E é exatamente aí que eu quero chegar, fazer aquilo que precisa ser feito potencializa nosso sucesso, melhora muito nossa visibilidade positiva e não é justo com a nossa história, deixarmos de fazermos isso preocupados com aquilo que os outros irão pensar.

 

Ah só mais uma coisa, gostou desse post? Ele te ajudou? Deixou você melhor? Me conte, me fale, saber que eu te ajudei me deixa mais inspirado para fazer cada dia mais. Obrigado.

Atenciosamente

ROBSON DUTRA

Loading...